18 de Setembro

Dia dos Símbolos Nacionais

Dia dos Símbolos Nacionais

Os símbolos nacionais são quatro: a Bandeira, as Armas, o Selo e o Hino.

Em cerimônias, eventos esportivos, documentos importantes e localidades oficiais, esses símbolos representam o Brasil - por isso, devem ser respeitados por todos os cidadãos.

São os símbolos nacionais que nos identificam como nação, como pessoas que compartilham uma mesma terra e uma mesma língua.

Bandeira

Projetada em 1889 por Raimundo Teixeira Mendes e por Miguel Lemos, a Bandeira Nacional foi desenhada por Décio Vilares. Ele se inspirou na bandeira do Império, que havia, por sua vez, sido desenhada pelo pintor francês Jean Debret.

A esfera azul onde hoje aparece a divisa positivista “Ordem e Progresso” substituiu a antiga coroa imperial. Dentro da esfera estava representado o céu do Rio de Janeiro com a constelação do Cruzeiro do Sul tal como apareceu às 8h30min do dia 15 de novembro de 1889, dia da Proclamação da República. Mas, em 1992, uma lei modificou as estrelas da bandeira, para permitir que todos os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal fossem representados.

Como símbolo da pátria, a Bandeira Nacional permanece hasteada na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Quando tem que ser substituída, a nova é hasteada antes que a antiga seja arriada.

O hasteamento e arriamento são tradicionalmente feitos às 8h e 18h, respectivamente, o que não impede que isso ocorra a qualquer hora do dia ou da noite. Quando exposta à noite, porém, a bandeira deve estar bem iluminada.

Selo

Formado por um círculo representando uma esfera celeste, exatamente igual à da Bandeira Nacional, tem ao redor as seguinte palavras: “República Federativa do Brasil”.

O Selo é usado para conferir a autenticidade dos atos de governo e dos diplomas e certificados expedidos por escolas oficiais ou reconhecidas.

Armas Nacionais

Figura representada por um escudo redondo, pousado em uma estrela de cinco pontas, com o Cruzeiro do Sul ao centro e sobre uma espada. Traz um ramo de café à direita e outro de fumo à esquerda. Numa faixa em cima da espada, encontram-se as legendas “República Federativa do Brasil”, ao centro, “15 de novembro”, à direita, e “de 1889”, à esquerda.

Hino

A identificação do povo com o Hino é muito importante para que, ao ouvi-lo ou cantá-lo, possa se ter a sensação de que ele é realmente o porta-voz da nação, da alma do povo. Você mesmo já não se emocionou várias vezes ouvindo o Hino Nacional Brasileiro, depois de uma competição olímpica ou quando assistia Ayrton Senna, depois de cruzar a reta final do autódromo, subir ao pódio e, o que é melhor, erguendo nossa bandeira? Este é um tipo de sentimento patriótico do qual mesmo as pessoas mais frias e calculistas não conseguem escapar.

A atual letra do nosso Hino ainda completou cem anos. De autoria de Osório Duque Estrada, foi redigida em outubro de 1909 e seu projeto original encontra-se na Biblioteca Nacional. A letra, um poema oficializado pelo decreto número 15.671 de 6 de setembro de 1922, apresenta algumas variantes, mas, em linhas gerais, segue o original de 1909.

Clique aqui para o Hino Nacional

 

 

Dica do professor

 

Leve para a sala de aula um gravador, toque e cante com as crianças o hino Nacional. Após cantarem a primeira vez, coloque um pedaço de papel pardo na lousa e escreva as palavras que eles não sabem o significado.

 

Passe então a explicar palavra por palavra cada significado. Depois de terem passado todo o vocabulário, ensine-os qual a postura adequada para se ouvir o hino e explique que a postura demonstra o respeito que temos pelo nosso país que é tão rico e abençoado.

 

Coloque mais uma vez o hino para que eles possam cantar cientes do que estão cantando e na postura adequada.

 

 

Se sentir necessidade coloque quantas vezes as crianças pedirem para ouvir, pois poderão assim aprender por repetição e decorar, ou também existe a possibilidade dependendo da idade de seus alunos de colocar no retro projetor para que eles cantem lendo no telão.