Abolição da Escravatura

Abolição da Escravatura

Logo que os portugueses chegaram ao Brasil e começaram a colonização, perceberam que havia muito trabalho e pouca mão de obra. A primeira opção foi obrigar os índios a realizar o trabalho duro da lavoura, mas isso na deu certo em função da pouca resistência dos índios ao trabalho pesado, pois apesar de cultivarem a terra, não era no mesmo ritmo que os portugueses e também os padres que chegaram para catequizar os índios impediam essa exploração.

A solução encontrada pelos portugueses foi fazer o que muitos nobres da Europa faziam na época: buscar negros na África para trabalharem como escravos.

Essa prática irregular e totalmente contra os princípios de respeito humano foi considerada “normal” pela maioria das pessoas da época, mas grupos de pessoas envolvidas com a questão da abolição começaram a surgir em vários países, inclusive no Brasil, tornando-se precursores dos ideais abolicionistas.

Abolicionismo no Brasil

No Brasil muitos se envolveram com a causa do abolicionismo. Foram personalidades extremamente importantes por lutar pelos direitos dos negros, citamos aqui alguns dos principais: José do Patrocínio e Joaquim Nabuco, em 1880 a Sociedade Brasileira Contra a Escravidão, que uniu todos os grupos abolicionistas do país. Castro Alves além de pertencer ao núcleo dos abolicionistas, funda, em 1886, em conjunto com Rui Barbosa, o jornal de ideia “A Luz”, através do qual propagam ideias abolicionistas. Luiz Gama, advogado paulista que sempre esteve ligado à causa abolicionista, conseguiu libertar mais de escravos, trabalhando somente dentro da lei.  

Finalmente em 13 de maio de 1888, a Princesa Isabel, princesa regente, assina a Lei Áurea que declara extinta a escravidão no Brasil.

Abolicionismo no mundo

Na Europa, o português Marquês de Pombal é considerado um dos pioneiros do abolicionismo, decretando o fim da escravatura em Portugal em 1761. Na Inglaterra, o político William Wilberforce dedicou sua vida em prol à libertação dos escravos e sua primeira conquista foi, em 1807, a assinatura do Ato Contra o Comércio de Escravos. Na França, os lideres da Revolução Francesa, através da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão acabaram por libertar também seus escravos em 1794, mas Napoleão Bonaparte reestabeleceu a escravidão e somente em 1848 os escravos ganharam sua liberdade definitiva. No Chile foram os generais José de San Martín e José Lucas promovem a libertação dos escravos em 1818, sendo um dos primeiros países da América a libertar seus escravos. Nos Estados Unidos, o presidente Abraham Lincoln declara a libertação dos escravos em 1863, mediante a assinatura do documento chamado Declaração de Emancipação.

Curiosidades:

O nome “Lei Áurea” é devido ao fato dos abolicionistas dar à princesa uma pena de ouro para a assinatura do documento.