Audição e Visão

AudiçãoAudição e Visão

Ouvir música, assistir a uma aula, ouvir o apito
do juiz no jogo de futebol, nossos ouvidos estão sempre alertas para o mundo...

Pode parecer muito simples, mas a audição é um mecanismo complexo, que envolve estruturas específicas. Vamos conhecê-las, mas não se assuste com os nomes!
Para começar, o que chamamos de “orelha”, na verdade tem um nome mais sofisticado no meio científico: chama-se aurícula ou pavilhão auricular. Ela é bastante flexível e possui uma forma própria, que permite uma melhor captação dos sons que
serão conduzidos pelo canal auditivo.
No final do canal auditivo existe uma pequena membrana, que você já deve ter "ouvido" falar várias vezes: o tímpano ou membrana timpânica, que vibra com a chegada de sons. É bastante sensível e pode ser rompido com choques mecânicos.
As vibrações que chegam até o tímpano serão transmitidas para três ossos muito pequenos, mas fundamentais para a nossa audição: martelo, bigorna e estribo. Esses ossos são articulados entre si, e têm a função de amplificar ou diminuir a vibração no tímpano.
A vibração chega até uma membrana chamada janela oval, por onde passa um líquido que estimula as células locais.
As sensações percebidas pelas células são transformadas em mensagens enviadas ao cérebro e aí podemos então interpretar os sons.
Subindo a serra...
Você já teve a sensação de estar com ouvido entupido ao subir uma serra? É bem estranho, não? O que ocorre e que, à medida que subimos, a pressão atmosférica fica menor que a pressão dentro da orelha. Essa diferença faz com que a membrana timpânica fique esticada, prejudicando a nossa audição. O problema é resolvido naturalmente com a saída de ar pela tuba auditiva, normalizando a pressão, mas podemos dar uma ajudinha nesse processo bocejando ou engolindo um pouquinho de saliva.
Proteção importante!!!
Próxima à entrada do ouvido encontramos glândulas especiais responsáveis por produzir a cera ou cerume. Ela é produzida normalmente e serve para proteger o ouvido contra a água, que pode conter micoorganismos ou detritos prejudiciais, além de também evitar a entrada de poeira que pode afetar o tímpano.
O excesso de cera significa que há alguma infecção ou algum elemento estranho, mostrando que as glândulas precisam trabalhar mais, assim, quando isso ocorre o ideal é procurar o médico. Não se deve cutucar e nem tentar retirar a cera, pois você estará retirando a proteção natural.
Visão
Admirar um lindo dia de sol, ler um livro, jogar videogame, todas essas (e muitas outras!) são atividades que realizamos em função do sentido da visão. O olho, órgão responsável pela visão, tem várias estruturas que trabalham até a formação da imagem. Vamos entender como é esse processo...
Para começar só enxergamos quando a luz incide nos olhos e a pupila é a porta de entrada para a luz. Através dela as imagens do ambiente são levadas para o interior do globo ocular. A pupila é controlada pela íris, membrana que faz aumentar ou diminuir a dimensão da pupila de acordo com a incidência de luz. Assim, quando o ambiente está escuro, a íris se abre para captar qualquer faixa de luz que conseguir. Ah! É a íris que dá a coloração para os olhos!
O cristalino é responsável por focalizar os objetos dependendo da distância, assim ele pode mudar de aspecto quando estamos observando as estrelas ou lendo um livro. A córnea, que fica na região central do olho também ajuda na focalização dos objetos.
Para formação das imagens, entra em cena a retina, membrana interna com células supersensíveis à captação de luz e que recebe a imagem captada. Mas veja que interessante: ela recebe a imagem de cabeça para baixo! Nessas células existem substâncias químicas que sofrem transformação e originam mensagens elétricas. Essas mensagens são conduzidas pelo nervo óptico até o cérebro para a formação correta da imagem.
Buá... buá... De onde vêm as lágrimas?
Normalmente relacionamos às lágrimas somente à reação desencadeada por algum estado nervoso, seja alegria ou tristeza, mas ela tem funções mais importantes, veja só:
As lágrimas são secretadas pelas glândulas lacrimais, que ficam no canto interno dos olhos e são eliminadas pelos canais lacrimais, que ficam no canto externo dos olhos. No caminho entre a glândula e o canal lacrimal, gotículas de lágrima vão sendo eliminadas para cumprir uma de suas funções que é umedecer a superfície da córnea e do cristalino. A outra função é inibir o crescimento de microorganismos que podem prejudicar a visão.
 Nossos olhos podem nos enganar!
Você já teve a sensação de olhar para uma figura ter dificuldade de distinguir sua cor ou forma, parecendo que ela se move na sua frente? Não se preocupe, pois isso é apenas ilusão de ótica... Ela acontece quando a imagem que vemos não é realmente aquela que está desenhada no papel. A explicação para isso vem da neurociência: esses fenômenos acontecem porque nós só somos capazes de observar uma interpretação de cada vez, nunca duas ou mais simultaneamente.
Confira algumas ilusões de ótica nesse site: http://www.bazarmagico.com.br/otica.htm
Curiosidades
A exposição a sons muito altos, como por exemplo, o de um trio elétrico, pode causar trauma sonoro agudo, que leva à perda auditiva temporária ou permanente.
(fonte: http://www.policlin.com.br/drpoli/063/)
Os cães têm, em geral, excelente sentido da audição, podendo perceber sons que são inaudíveis para o ouvido humano. Essa faculdade os ajuda a seguirem a pista de uma presa e se comunicarem uns com os outros.
(fonte: Saúde Animal)
Os cílios servem para proteger os olhos contra agentes externos, como a poeira, por exemplo. Um cílio dura de 90 a 150 dias e depois cai. Cada olho tem em média 200 cílios.
 (fonte: Guia dos Curiosos)
Muitos animais possuem a visão em preto e branco. Alguns deles, entretanto, enxergam melhor do que o homem, como por exemplo, a águia (daí vem a expressão "enxergar com olhos de águia"). Outros, como o rinoceronte, são extremamente míopes. Mas o mais interessante é que vários animais enxergam uma parte dos raios infravermelhos. Isso lhes permite caçar durante a noite, já que um corpo emite raios infravermelhos conforme a sua temperatura.
(fonte: http://educar.sc.usp.br/otica/curiosid.htm) 


Dicas de sala de aula