Constelações

ConstelaçõesVocê já percebeu que maravilha é observar o céu estrelado? Podemos ver as estrelas mais brilhantes,
as mais próximas e até observar as figuras que elas formam. Saiba que desde a antiguidade o homem
já tinha o hábito de estudar o céu. Um dos primeiros elementos do céu que o homem tentou entender foram as
constelações, que são grupos de estrelas próximas umas das outras, da forma como são
vistas da Terra, e que, quando ligadas por linhas imaginárias, formam diferentes figuras e
recebem nomes especiais.

Através dessa observação contínua das estrelas foi possível perceber que o céu é mutável, que tem movimento e também que há certa ordem neste movimento. Essa descoberta foi fundamental para o ser humano, servindo de referência para seu cotidiano,
como por exemplo, época das chuvas, de plantar, de colher, etc.
Percebeu também que podia orientar-se através da observação das estrelas.
Assim, os povos antigos acabaram percebendo que as estrelas seguem certo arranjo, que persiste de uma noite para outra sendo possível uni-las através de linhas imaginárias formando figuras no céu, nas quais procuravam representar os semideuses, animais, heróis de suas mitologias ou mesmo objetos do uso cotidiano, caracterizando assim as constelações.
Na verdade essas constelações não existem realmente, pois as estrelas que a compõem estão em diferentes distâncias de nós, mas como as vemos como se estivessem "coladas" no céu é possível estabelecer essa relação.
Atualmente as figuras formadas pelas constelações não tem mais valor nos estudos da astronomia. O que importa agora é defini-las em regiões bem demarcadas na Esfera Celeste, sendo que uma das finalidades é facilitar a localização dos corpos celestes dentro de uma determinada constelação.
Assim, temos agora 88 constelações, as quais têm seus nomes padronizados em latim. Essas constelações podem ser agrupadas segundo sua posição relativa às principais referências, ou seja, o Equador Celeste, os Hemisférios Celestes Norte e Sul e a Eclíptica. Desse modo, nós temos as constelações Equatoriais, Boreais, Austrais e Zodiacais.

Não confunda astrologia com astronomia...

A astronomia é o estudo é a ciência que estuda o universo e dos corpos celestes, com o fim de situá-los no espaço e no tempo e explicar sua origem e seu movimento. Já a astrologia é uma doutrina ou prática, com objetivo entender a influência dos astros nos acontecimentos e na vida das pessoas, traçar suas características psicológicas e em seu destino, portanto são diferentes.
Nos dois estudos utilizamos o termo zodíaco, só que para a astronomia, esse termo significa "zona circular na esfera celeste que forma a faixa sobre a qual se movem o Sol, a Lua e os planetas em órbita”, já para astrologia, é a representação de uma circunferência onde estão colocados os planetas da forma como se apresentavam no céu no momento do nascimento do assunto estudado, que pode ser uma pessoa, cidade, país etc., formando o mapa astrológico da pessoa ou evento. Na circunferência estão divididos em doze signos zodiacais Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes.
Os astrônomos da Grécia antiga
Tales de Mileto ( 624 - 546 a.C.): introduziu na Grécia os fundamentos da geometria e da astronomia, trazidos do Egito.
Pitágoras de Samos ( 572 - 497 a.C.) Foi o primeiro a chamar o céu de cosmos e realizou muitos estudos tentado explicar o que chamamos hoje de sistema solar.
Aristóteles de Estagira (384-322 a.C.): explicou que as fases da Lua os eclipses, além de outros estudos significativs para a astronomia da época.
Aristarco de Samos (310-230 a.C.): foi o primeiro a propor a Terra se movia em volta do Sol, antecipando Copérnico em quase 2000 anos. Entre outros estudos, desenvolveu um método para determinar as distâncias relativas do Sol e da Lua à Terra e mediu os tamanhos relativos da Terra, do Sol e da Lua.
Eratóstenes de Cirênia (276-194 a.C.): bibliotecário e diretor da Biblioteca Alexandrina de 240 a.C. a 194 a.C., foi o primeiro a medir o diâmetro da Terra.
Ptolomeu (85 d.C. - 165 d.C.): foi o último astrônomo importante da antiguidade. Ele compilou uma série de treze volumes sobre astronomia, conhecida como o Almagesto, que é a maior fonte de conhecimento sobre a astronomia na Grécia.
Depois disso...
Depois da grande contribuição dos Gregos à astronomia, não poderíamos deixar de mencionar Galileu Galilei e Nicolau Copérnico. Galileu com seus estudos conseguiu elucidar muitos aspectos da astronomia, mas tudo começou quando, em 1608, construiu o primeiro telescópio que se tem conhecimento, fato que possibilitou descobertas fundamentais para entender o funcionamento do universo. Ele também conseguiu comprovar a teoria de Copérnico que afirmava que a Terra é redonda e que ela girava em torno do Sol.
Curiosidades

Catálogo estrelar é a representação gráfica da organização das estrelas. O mais antigo que se tem conhecimento foi feito por Ptolomeu (séc. II a.C.). Chamava-se Almagesto e relacionava 1022 estrelas agrupadas em 48 constelações.


Dicas de sala de aula