Dia do Trabalho

Dia do TrabalhoNo final do Século XIV, na maioria dos países,
havia uma forma desumana e insalubre de trabalho. Com a expansão da indústria e as cidades crescendo em ritmo acelerado, era necessário o aumento da produção que também exigia mais horas de trabalho e um desgaste cada vez maior dos trabalhadores que chegavam a uma jornada de 13 horas por dia.
Final de semana, férias, aposentadoria????
Ninguém sabia o que era isso! Não existiam leis trabalhistas e os trabalhadores não tinham como reclamar seus direitos.

Uma situação desse tipo não poderia resistir por
muito tempo e assim os trabalhadores começaram
a se organizar, exigindo redução de jornada
e melhores condições de trabalho.
Esse movimento teve início em 1º de Maio de 1886, na cidade de Chicago – Estados Unidos, onde ocorreu uma grande manifestação de trabalhadores que paralisaram as atividades para fazer manifestações. Essa data foi tida como referência da luta dos trabalhadores por seus direitos e a maioria dos países acabaram também por adotá-la, inclusive como feriado nacional, dedicando o dia a festas, manifestações, passeatas, exposições e eventos reivindicatórios.
Os acontecimentos que levaram a estabelecer o Dia do Trabalho tem haver com as conquistas dos trabalhadores de forma ampla, elevando o trabalhocomo um direito humano, no mesmo patamar do direito à vida, à saúde e a educação, proclamada pela Declaração Universal dos Direitos Humanos.
No Brasil, a data é comemorada desde 1895 e virou feriado nacional em setembro de 1924, por um decreto do presidente Artur Bernardes. Por aqui também ocorreram outros eventos importantes nesta data: em 1940, o presidente Getúlio Vargas instituiu o salário mínimo, ou seja, o valor mínimo que um trabalhador deve ganhar para suprir as necessidades básicas de uma família - moradia, alimentação, saúde, vestuário, educação e lazer e em 1941 foi criada a Justiça do Trabalho, destinada a resolver questões judiciais relacionadas, especificamente, as relações de trabalho e garantir os direitos dos trabalhadores.
O trabalho na história da humanidade
Para garantir sua sobrevivência, o homem sempre precisou trabalhar, seja de forma remunerada ou não. Assim as relações de trabalho foram modificando ao longo da história.
Na Idade Média, época que se caracterizou pela economia ruralizada, enfraquecimento comercial e sistema de produção feudal, as relações de trabalho eram baseadas no trabalho servil, onde o vassalo era obrigado a manter fidelidade ao senhor feudal.
Como essa situação tornou-se insustentável, cada vez mais os servos procuravam, através de lutas, tornarem-se livres para procurar o melhor meio de sustento. A partir daí formam-se em determinados pontos pequenas unidades artesanais, constituindo cidades, valorizando novamente o comércio que agora cresce além dos mares. Neste período predominavam as profissões de sapateiro, artesões, alfaiates e comerciantes em pequenos mercados.
Entre os séculos XVI e XVII começam a ocorrer os grandes descobrimentos científicos e técnicos, facilitando a instalação do capitalismo de produção.
Com a Revolução Industrial o sistema capitalista se fortificou e as relações de trabalho modificaram-se por completo, houve o aumento significativo da produção material e do rendimento do trabalho, sendo que este sistema é o que impera na maioria dos países até hoje.
Mudanças no mundo do trabalho
É interessante notar que, pelas características da sociedade em uma determinada época, algumas profissões eram fundamentais e que hoje não existem mais, principalmente porque a tecnologia foi evoluindo e substituindo algumas funções. A mais fácil de lembrar são as funções de datilógrafo e arquivista. Ambas relacionadas à elaboração e organização de documentos, não tem mais espaço frente aos computadores cada vez mais modernos e ágeis.
Antigamente, os homens andavam sempre com ternos impecáveis, feitos por alfaiates habilidosos, que conheciam o melhor tecido e o gosto de cada cliente. Atualmente com a evolução das confecções e marcas especializadas, os alfaiates estão desaparecendo, e atualmente atendem apenas clientes privilegiados, em casa ou escritórios.
Há muito tempo atrás, quando se ouvia uma gaita tocando na rua, as donas de casa saiam correndo com as facas para amolar. A profissão de amolador de facas era de muita utilidade e facilitava a vida das donas de casa assim como funileiro de panelas de alumínio que consertava os furos e outros estragos causados nas panelas pelo uso diário.
Registrar um passeio ou piquenique no parque era tradição para as famílias no início do Século XX e isso só era possível porque o fotógrafo lambe-lambe,usando sua máquina com formato de caixoteestava sempre por perto para perpetuar a ocasião. Agora, nem precisa falar que as máquinas digitais deixam as fotos muito mais nítidas além de serem mais práticas.

Pensando no futuro

Também de acordo com necessidades específicas das sociedades, com a evolução do conhecimento que chega cada vez mais rapidamente e com o avanço da tecnologia, aos poucos vão surgindo novas profissões.
Não há consenso entre os pesquisadores da área a respeito de quais seriam realmente as profissão do futuro: alguns dizem que são profissões que na verdade já existem, mas que vão se modificando ou se modernizando de acordo com as necessidades específicas, outros dizem que são realmente profissões das quais nunca se ouviu falar. Observe algumas que relacionamos abaixo e dê sua opinião...
Pela necessidade de conciliar desenvolvimento com preservação do meio ambiente, Ecorrelações é uma das profissões mais cotadas para 2020. Se você quiser ser um “ecorrelacionista” terá que ter afinidade desde já com a sustentabilidade e sua função será intermediar a comunicação e o trabalho com consumidores, grupos ambientais e agências governamentais para ampliar os programas ecológicos.
Como a dinâmica das empresas está em constante transformação, será necessário um profissional para atuar na área da Comunicação Empresarial. Esse profissional terá como objetivo principal manter a comunicação entre os funcionários e com os setores diretamente ligados aos serviços prestados pelo negócio. Na verdade já existe uma formação nessa área, mas como especialização dentro da carreira de Jornalismo e Relações Públicas, mas por sua relevância no desenvolvimento das empresas, tenderá a crescer muito.
Com o avanço da tecnologia e dos meios de comunicação que tem como base o espaço virtual, surge a Midiologia, profissão que atualmente é uma especialização do curso de Rádio e TV, com tendência para crescer muito. O profissional desta área é capaz de interligar os diferentes tipos de mídia (áudio, vídeo, fotografia...) e produzir um material que considere a sociedade e o contexto em que se inseremseus códigos, linguagens, histórias, teorias e condições técnicas. 
A profissão de Atuário tem como objetivo entender como funciona o mercado econômico-financeiro, promover pesquisas e estabelecer planos e políticas de investimentos e amortizações e, em seguro privado e social, calculando probabilidades de eventos, avaliando riscos, etc. Com tantas modificações no mercado financeiro, é uma profissão que vai bombar daqui para frente.
Pela necessidade de gerir a quantidade crescente de lixo produzida no mundo e da iminente necessidade de dar um destino sustentável a esses materiais, surge a profissão de Lixólogo ou Gestor de Resíduos. Este especialista teráresponsabilidade de criar soluções para o gerenciamento de todos os tipos de detritos (sólidos, líquidos ou gasosos), desde aqueles gerados em casa aos produzidos em hospitais e indústrias.
Segundo os especialistas em análise de mercado, os setores de maior probabilidade de crescimento e de onde surgirão novas profissões para as próximas décadas são: Informática, Saúde; Meio Ambiente; Turismo, lazer e entretenimento; Biotecnologia; Administração; Tecnologia da Informação; Terceiro Setor e Educação.
Já ouviu falar em trendspotter, sexador, personalstylist? Não!?!? Então conheça essas e outras profissões inusitadas clicando aqui.
Uma dica para você!
Se já está terminando o Ensino Médio e ainda não sabe qual profissão seguir, faça sessões e teste de orientação vocacional. São psicólogos especialistas nessa área que aplicam esses testes específicos e ajudam você a definir qual caminho tomar.
Curiosidades
Porque o nome fotógrafo “lambe-lambe”? Bem, existem várias explicações...
Alguns dizem que era porque lambia-se a placa de vidro para saber qual era o lado da emulsão da chapa fotográfica, outros diziam que se lambia a chapa para fixá-la. Porém a origem mais viável parece estar ligada a uma etapa do processo fotográfico, aferrotipia: depois de feita a revelação, o fotógrafo lambia a chapa de ferro, coberta por uma camada de asfalto, fazendo com que a imagem se destacasse do fundo preto pela ação do cloreto de sódio presente na saliva.


Dicas de sala de aula