Grécia Antiga

Grécia Antiga

A mais sábia das civilizações antigas

A civilização grega foi a mais avançada do mundo antigo.

Foi na Grécia que o pensamento filosófico teve origem. O pensamento filosófico deu base para o desenvolvimento do conhecimento científico, ou seja, explicar os fatos através de métodos e técnicas que possam ser avaliados e comprovados. Antes disso só existia o pensamento mítico, baseado em crenças e mitos que não podiam ser comprovados, pois partiam do imaginário popular. Sócrates, Platão e Aristóteles foram os principais filósofos da Grécia Antiga, contribuindo para a evolução de diversas áreas do conhecimento.

Sociedade e Cultura

A sociedade grega tinha uma hierarquia bem definida: os periecos eram os habitantes da periferia e não tinham participação política; os esparciatas eram cidadões espartanos integrados ao exército ou negócios públicos, os escravos eram os prisioneiros de guerra ou pessoas escravizadas por terem dívidas; os hilotas eram servos do estado; os metecos eram estrangeiros ligados ao comércio e também não tinham participação na vida pública e finalmente os eupátridas eram as pessoas nascidas em Atenas, formavam a aristocracia latifundiária.

 A tragédia e a comédia foram os dois gêneros de teatro da Grécia. As apresentações de teatro eram feitas ao ar livre e muitas peças do teatro grego são representadas até hoje.

 A poesia grega era muito valorizada, tanto que em todos os banquetes, jogos e festivais era declamada inclusive acompanhada por música. Eram classificadas em épica, encontrada nas obras de Homero e lírica, que recebeu esse nome por sempre ser acompanhada pelo som da lira.

Os templos foram os maiores representantes da arquitetura grega. Eram construções requintadas, feitas em pedra e com estilo próprio. O templo grego mais importante era o Partenon de Atenas.

 A escultura foi desenvolvida, por muito tempo, para completar as obras arquitetônicas, principalmente nos templos. Assim, é comum ver grandes esculturas ao lodo de templos e construções gregas.

Na medicina os gregos também “saíram na frente”, Hipócrates foi o primeiro a estudar as ciências médicas. Na Grécia Antiga havia uma forma interessante de atendimento: as consultas eram gratuitas, mas a pessoa que se restabelecia deveria fazer uma oferenda, levando ao “doutor” uma réplica do órgão ou membro afetado.

Culto a vários deuses

 No que desrespeito à religião, os gregos eram politeístas, isto é, acreditavam em vários deuses, mas para eles os deuses tinham uma forma antropomórfica, ou seja, eram a figura ampliada dos homens e a única diferença entre eles era a característica de imortalidade dos deuses. Podiam ser encontrados nas alturas dos céus ou nas profundezas dos oceanos e eram, representavam forças da natureza, protegiam a humanidade e representavam paixões e sentimentos humanos. Além dos deuses, os heróis também eram cultuados e chamados de semideuses.

 Grécia e a origem das Olimpíadas

O evento esportivo mais importante do mundo surgiu na Grécia

Para os gregos o esporte era muito importante! Através dele podiam mostrar suas habilidades e homenagear os deuses, principalmente Zeus, considerado o “deus dos deuses”. Como ocorria na cidade de Olimpia, o evento passou a ser chamado de Olimpíada. A primeira aconteceu há 2.500 a.C. com uma única competição: a corrida olímpica. A partir daí ficou estabelecido que as olimpíadas ocorreriam sempre a cada quatro anos, durante os meses de julho e agosto, sistema que é mantido até hoje.

Com o passar do tempo, o número de competições foi aumentando, até chegar a dez eventos: corrida, pentatlo, arremesso de disco, salto em distância, lançamento de dardo, luta, boxe, pancrácio, corrida de bigas (carro de duas ou quatro rodas puxados por cavalos) e corrida de cavalos. Tudo tinha que acontecer em cinco dias!

Curiosidade

Segundo a mitologia greco-romana, os deuses habitavam o Monte Olimpo, que fica no norte da Grécia, perto do mar Egeu. Tem 3 mil metros de altura e é o ponto mais alto do país.
(fonte: Guia dos Curiosos)

 


Dicas de sala de aula