Montanhas e Cavernas

Montanhas e Cavernas

 

Formação de Cavernas

Você já entrou em uma caverna? Se entrou logo percebeu que representam uma verdadeira obra de arte da natureza! Quer saber como elas se formam? Então vamos lá...

 1.  As cavernas são formadas em áreas de rochas calcárias. Esse tipo de rocha é formada por um mineral chamado calcita ou, usando a nomenclatura da química, carbonato de cálcio.

 2. Esse mineral dissolve-se facilmente na água, que contém forte teor de ácidos, provenientes da chuva ácida ou do dióxido de carbono (CO2) existente na atmosfera e na decomposição da matéria orgânica;

 3. A água ácida penetrando pelas fendas do calcário ataca a rocha, produzindo o bicarbonato de cálcio (Ca(HCO3)2), que é facilmente transportado pela água.

 4. Com a dissolução do carbonato de cálcio, as fendas vão-se alargando lentamente e formando as cavernas.

 

Gotejamento

Durante todo processo de formação há gotejamentos no interior das cavernas e é através desse processo que se formam as "esculturas" dentro dela: as estalactites crescem pendurados no teto da caverna, e as estalagmatites crescem no chão. Esse conjunto é chamado de espeleotemas e é possível ter noção da idade de uma caverna através deles: se a caverna tiver muitos espeleotemas é mais antiga e se tiver poucos é mais recente.

Dependendo do tipo de gotejamento, há diferentes formas, como por exemplo: cortina, coluna, bolo de noiva e pilha de pratos. Mas o processo é muito lento! Para você ter uma idéia, para crescer apenas 2,5 centímetros, leva 500 anos!

 

Vida nas Cavernas ???

Quando entramos pela primeira vez em uma caverna, a primeira impressão é que não existe nenhuma forma de vida, mas isso não é verdade! Para você ter uma idéia, existem mais de 1300 espécies de animais que são adaptados a este tipo de ambiente. Existem animais que têm todo seu ciclo de vida dentro das cavernas, como o bagre cego, a salamandra cega, o camarão cego e o isópode albino cavernícola. Nesses animais, já que vivem em ambiente escuro, têm excelente audição. Há também os animais que podem viver tanto dentro como fora das cavernas e nesse grupo estão incluídos os crustáceos, aranhas, opiliões e uma grande variedade de insetos. Finalmente há o grupo de animais que vivem próximos às cavernas, mas utilizam esse ambiente como refúgio, local de reprodução ou alimentação, existem várias espécies de morcegos que estão nesse grupo.

A espeleologia é a ciência que estuda os ambientes de caverna. No Brasil a SBE - Sociedade Brasileira de Espeleologia é a instituição que dá apoio à pesquisa, exploração e preservação de cavernas.

Cavernas Brasileiras

Sem dúvida temos inúmeras cavernas no Brasil que se distinguem por sua beleza, pois possuem grandes entradas e salões internos, lagos e cachoeiras subterrâneas, e a extraordinária beleza dos espeleotemas. Seguem alguns exemplos: gruta Refúgio do Maroaga - AM, gruta do Convento - BA, lapa da Terra Ronca - GO, gruta do Lago Azul - MS, gruta do Chapéu - SP, gruta do Botuverá - SC.

 

Formação de Montanhas

As montanhas se formam por movimentos geológicos, como por exemplo, o choque entre placas tectônicas ou por acúmulo de rocha vulcânica em uma superfície.

De acordo com o processo de formação, as montanhas podem ser classificadas em: montanhas de domo, que têm a superfície achatada que declina de forma gradual em direção às planícies adjacentes; montanhas de blocos de falhamento que se compõem de segmentos da crosta terrestre que foram soerguidos ao longo de zonas de fratura linear na forma de imensos blocos, que geralmente são separados por vales ou bacias e as montanhas de dobras vulcânicas, que ocorrem em locais onde bacias extensas foram preenchidas com camadas de material sedimentar.

Ao longo de milhões de anos, as montanhas ficam mais altas, mas também sofrem desgastes pela ação do vento, gelo e pela chuva, através de um processo chamado erosão.

Se uma montanha tem saliências pontudas por onde se pode escalar, é sinal de que ela é bem jovem.

 

Montanhas brasileiras

No Brasil, as montanhas não atingem grandes altitudes em função de formarem-se em terrenos muito antigos que, ao longo das eras geológicas, sofreram um processo de desgaste pelos agentes de erosão. Alguns exemplos de montanhas brasileiras: pico da Neblina - AM , ponto culminante do território brasileiro, com 3.014m de altitude, o pico da Bandeira, com 2.890m, na serra do Caparaó ou da Chibata, entre os estados do Espírito Santo e Minas Gerais, e o pico das Agulhas Negras com 2.787m, no maciço de Itatiaia, entre os estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Curiosidades

ü  A maior caverna do mundo é a Câmara Saruwak, na Malásia. Tem aproximadamente

ü  700 metros de comprimento e 70 metros de largura.

ü  O monte Everest é a montanha mais alta do mundo. Possui 8.850m e fica no continente asiático.

 


Dicas de sala de aula