Regiões Brasileiras

Regiões BrasileirasNosso país é realmente fantástico!
Há abundância em tudo: vegetação,
água, espécies animais, extensão
territorial, etc. 

 Justamente pela grande diversidade 
natural, social, econômica e também
pela extensão territorial – temos 8.514.877 km2 em extensão, foi necessário dividir nosso país em regiões, dessa forma fica mais fácil administrar e estimular o desenvolvimento baseado-se nas características regionais.
 
Atualmente o Brasil é formado por 26 estados e um Distrito Federal, divididos
em cinco regiões: Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sul e Sudeste. 
 
A partir de agora vamos conhecer as características de cada região...
 
Começando pela região Centro-Oeste, que é formada pelos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. Nesta região predomina o clima tropical, com verão chuvoso e inverno seco. Com exceção do Pantanal, a vegetação predominante é o cerrado. A cultura dessa região é diversificada, devido à influência indígena, dos mineiros e gaúchos, principalmente. Como manifestações culturais típicas temos a cavalhada, principalmente em Goiás e o cururu, em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A culinária é de dar "água na boca": arroz com pequi - fruta típica da região, sopa paraguaia - que na verdade é sólida e não líquida!, arroz carreteiro, arroz boliviano, entre outros. 
 
A região Nordeste é formada por nove estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. O clima predominante é o tropical úmido e semiárido, no Sertão nordestino. A vegetação predominante é a caatinga, com matas tropicais e de cocais. A região possui a maior extensão litorânea brasileira, com praias belíssimas e muito visitadas por pessoas de todo o mundo. A cultura desta região é muito rica e diversificada. Tem um estilo de música muito característica, que é o forró de Pernambuco e o axé da Bahia. Sobre as festas populares também há muita variedade e uma dos mais importantes é o carnaval nordestino, que é o evento popular mais famoso do Nordeste, especialmente em Salvador, Olinda e Recife. Há comemorações típicas nas festas juninas em todos os estados da região. Há também os festejos de "bumba meu boi" que são tradicionais em todos estados nordestinos. Sobre a culinária, também é bastante diversificada e se destaca pelos temperos fortes e comidas apimentadas. Os pratos típicos são: carne de sol, buchada de bode, sarapatel, acarajé, vatapá, cururu, tapioca, etc. Também são comuns as frutas ciriguela, umbu, buriti, cajá e macaúba. 
 
Continuando nosso percurso, passamos agora para a região Norte, com os estados de Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. O clima é o equatorial úmido, caracterizado por elevadas temperaturas e grande quantidade de chuvas durante todo o ano. Com relação à vegetação, destacam-se as matas de várzea e os mangues no litoral Amazônico. As duas maiores festas populares da região Norte são o Círio de Nazaré - procissão católica em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré e o Festival de Parintins - adaptação da festa do boi-bumbá do nordeste. O estilo musical conhecido como carimbó é marcante no estado do Pará. A herança indígena é evidente na culinária da região Norte, que tem como base a mandioca e vários tipos de peixes. No estado do Amapá, a carne de sol é bastante consumida pela população. Nas cidades de Belém e em Manaus o tucupi - caldo da mandioca cozida - é um prato típico. A biodiversidade da Amazônia fica evidente pela variedade de frutas: cupuaçu, bacuri, açaí, taperebá, graviola, buriti, tucumã, pupunha, entre outros. 

Passamos, agora, à região Sudeste, com os estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Tem clima bem variado, desde o clima tropical, tropical de altitude, subtropical até o litorâneo úmido. Destacam-se como vegetação a Mata Atlântica e também os mangues, embora em pouca quantidade. Pelo dinamismo das grandes capitais, que estão localizadas principalmente nesta região, as festas populares acontecem mais no interior e a principal é a congada, que é uma festa cristã. O carnaval, sem dúvida, é uma festa que movimenta as capitais, principalmente no Rio e São Paulo, com desfiles de rua que são conhecidos internacionalmente. A culinária é bem diversificada, pois tem forte influência do índio, do escravo e dos diversos imigrantes europeus e asiáticos que chegaram à região. Entre os pratos típicos se destacam a moqueca capixaba, feita com tintura de urucum do Espirito Santo; o pão de queijo, feijão tropeiro, carne de porco servida com couve, quiabo, milho ou mandioca de Minas Gerais; a feijoada, aipim frito, e picadinho do Rio de Janeiro e  virado à paulista, cuscuz paulista, farofa, pizza de São Paulo.

Finalmente chegamos ao outro extremo do país, na região Sul, que abrange os estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O clima predominante na região é o subtropical. É a única região do país que tem registro das temperaturas mais baixas no inverno. Apresenta três formações vegetais básicas - a Mata dos Pinhais ou de Araucárias, a Mata Atlântica, na região da Serra do Mar e Campos,  na região da Campanha Gaúcha ou Pampa no Rio Grande do Sul. A grande diversidade cultural se constitui principalmente dos imigrantes europeus. No Rio Grande do Sul, danças gaúchas são tradicionais, e o gaúcho não dispensa a bombacha, o lenço e o poncho. Não pode faltar a qualquer hora o chimarrão e o churrasco nos finais de semana. No Paraná, a culinária inclui o barreado, prato diferente principalmente no preparo, pois os ingrediente são colocados em uma panela de barro, que é enterrada e acende-se por cima uma fogueira e a comida está pronta para ser apreciada após 12 horas de cozimento. Em Santa Catarina o evento cultural principal é a dança das fitas, em que se colocam fitas presar no alto de um grande mastro e os dançarinos realizam passos trançando as fitas de modos variados.
 
Se quiser saber tudo sobre cada Estado Brasileiro, clique aqui e confira o super Especial que preparamos!
 
Curiosidades
 
O termo censo tem origem no idioma Latim census, que significa “recenseamento, lista ou rol das pessoas e dos bens, feito pelo censor”. Periodicamente é realizado o censo no país que mostra a condição de vida nas várias regiões, portanto é uma forma de avaliar as características e condições de cada região. O primeiro censo dos brasileiros foi feito 50 anos depois do descobrimento, em 1550, e revelou que éramos 15 mil, fora a população indígena. Este número é contestado, pois na época nem se sabia direito o tamanho do país. Na proclamação da Independência, em 1822, um novo censo mostrou uma população de 4 milhões de brasileiros. O primeiro Recenseamento Geral Oficial é de 1872.

 


Dicas de sala de aula