Meios de Transportes Aquáticos

Meios de Transportes AquáticosComo nosso planeta possui grande quantidade de água, as pessoas sempre tiveram que pensar em formas inteligentes e criativas de aproveitar esse prêmio da natureza. No que desrespeito aos meios
de transportes
pela água, isto não foi diferente,
pois há cidades que são cercadas por água.
Assim, desde os primórdios da humanidade, já existiam os
transportesaquáticos. O mais primitivo que se tem conhecimento é a embarcação feita
com
troncos de árvores. Era muito simples confeccioná-las, bastava pegar troncos de árvores grossos e uni-los com fibras vegetais bem resistentes. Pouco mais tarde este invento se aprimorou transformando-se nas jangadas, que também evoluíram transformando-se nos barcos à vela.
Mas, na sequência, a construção das
caravelas portuguesas foi, sem dúvida, a maior inovação em termos de navegação da época, pois eram resistentes, pomposas e atravessavam oceanos transportando pessoas, equipamentos e mantimentos, ajudando a ampliar a visão do que existia além mar. Muito tempo depois surgiram os barcos à vapor, que passaram a liderar principalmente para o transporte de passageiros, pois eram seguros e rápidos. Daí para frente houve grande evolução no transporte aquático e atualmente há diversos modelos que podem ser usados para finalidades distintas, como por exemplo, para lazer, transporte de cargas, transporte de pessoas, etc.

Os meios de transporte aquáticos são divididos em duas categorias: os fluviais, ou seja, as embarcações que navegam em rios, geralmente de pequeno porte, para transportar pessoas e mercadorias. Nesta categoria está a canoa, utilizada tanto para o transporte de pessoas e mercadorias pequenas como para a prática da canoagem, portanto mais voltada para o esporte. Aqui estão também os barcos à vela ou a motor, utilizados para o transporte de pessoas em distâncias curtas e os barcos simples, utilizados para pesca em rios. Já na segunda categoria estão os marítimos, ou seja, as embarcações que navegam nos mares e oceanos. São maiores e mais resistentes, pois geralmente percorrem longas distâncias. Nesta categoria encontramos diversos tipos: os navios para viagens longas que transportam principalmente pessoas e são muito utilizados nas viagens de férias, os petroleiros que transportam petróleo de um continente para outro, os cargueiros para o transporte de alimentos e mercadorias em geral e ainda os navios de guerra, que transportam armas, canhões, etc. Ainda nesta categoria estão os iates que geralmente tem a finalidade de passeio e lazer.

Na utilização de transportes aquáticos, existem muitas vantagens, como por exemplo, é uma forma mais competitiva para o transporte de carga, pois o custo é menor, carrega qualquer tipo de carga e também transporta maior quantidade de carga por viagem. Mas, também há desvantagens, como por exemplo: há maior demora no transporte pelo fato da velocidade de transporte ser mais baixa, maior exigência de embalagens, pelo fato da umidade poder estragar os produtos, os portos de carregamento são distantes aos centros de produção e há também frequentes congestionamentos nos portos.

Brasil e a utilização dos transportes aquáticos.

Chamamos de hidrovias qualquer via navegável, utilizada por meios de transporte aquáticos para transportar mercadorias e passageiros, em oceanos, mares, lagos, rios, ou canais. No que se refere à quantidade de hidrovias, nosso país também é privilegiado, pois temos grande quantidade de rios de grande porte que ajuda em muitos aspectos o desenvolvimento do país. Para você ter uma ideia temos na costa atlântica mais de quatro mil quilômetros navegáveis e milhares de quilômetros de rios. Grande parte dos rios está na região Amazônica, mas o transporte aquático na região é mais de pessoas, pois não tem importância econômica em função de não haver nessa parte do país mercados produtores e consumidores de peso. Este fator causa na região muitas dificuldades para o desenvolvimento e é, sem dúvida, um fator que deve ser levado em conta nos planos governamentais futuros. Atualmente os trechos hidroviários mais importantes, do ponto de vista econômico, situam-se no Sudeste e no Sul do país.

Conheça as principais hidroviasbrasileiras:

Hidrovia Araguaia-Tocantins: a Bacia do Tocantins durante os períodos de cheias é navegável numa extensão de 1.900 km, e no rio Araguaia é navegável num trecho de 1.100 km.

Hidrovia São Francisco: o Rio São Francisco é o maior rio que está totalmente inserido em território brasileiro. O principal trecho navegável do rio possui 1.300 km de extensão e passa entre as cidades de Pirapora (MG) e Juazeiro (BA).

Hidrovia da Madeira: considerado um dos principais afluentes do Amazonas, o rio Madeira, tem extensão total aproximada de 1. 450 km. 

Hidrovia Tietê-Paraná: é uma via de navegação que permite o transporte de pessoas e cargas ao longo dos rios Paraná e Tietê. Esta hidrovia é muito importante para o escoamento da produção agrícola do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e parte de Rondônia, Minas Gerais e Tocantins.  Possui um trecho de 1.250 km navegáveis sendo 450 km no rio Tietê e 800 km no rio Paraná.

Hidrovia Taguari-Guaíba: A hidrovia de Taquari-Guaíba é a principal em cargas transportadas. Possui 686 quilômetros de extensão e é operada por uma frota de mais de 70 embarcações, que movimentam milhares de toneladas. Além disso, a hidrovia possui terminais intermodais que facilita bastante o transbordo das cargas.

Clique aqui para o Mapa com as principais hidrovias brasileiras.

(fonte: www.gestaonaval.org.br)

 

Os portos, que recebem os navios são pontos importantes da economia de um país, pois é por eles que circulam as mercadorias que vem de locais distantes, muitas vezes de outros países. Em qualquer porto há um trabalho intenso de desembarque, controle e armazenamento de diversos tipos de mercadorias, com pessoas que exercem funções importantes: o armador é a pessoa que faz o transporte propriamente dito, ele deve levar pessoas ou mercadorias de um ponto ao outro através do mar, rios e lagos, a tempo e em segurança; o estivador é o trabalhador que organiza as cargas para embarque e desembarque dos navios nos portos. Atualmente grande parte desta atividade está automatizada; o transitário é a pessoa que trata do transporte da carga desde o fornecedor ao cliente, selecionando e armazenando a mercadoria quando necessário; há também os responsáveis sobre a organizações de reboque e pilotagem de portos, que asseguram a boa navegação do navio dentro da área portuária e o shiphandler é a pessoa que abastece os navios de produtos alimentares e de outros consumíveis.

 

Curiosidades:

Já ouviu falar em táxi aquático? Eles existem e fazem sucesso em muitas cidades mundo afora. O táxi aquático é um barco que sai em horários específicos de diversos pontos da cidade, levando passageiros ao longo dos rios que passam nas cidades. Eles circulam em grandes cidades já há algum tempo e os passageiros aprovam sem reservas. Algumas cidades que já tem esse serviço são: Nova Iorque – EUA, Londres – Inglaterra, Potsdam – Alemanha e Amsterdã – Holanda. Vamos torcer para que chegue logo por aqui!


Dicas de sala de aula