Escritoras Brasileiras

Escritoras Brasileiras

Por sua capacidade e sensibilidade , a mulher tem destaque em várias áreas, portanto teríamos muito para falar sobre isso, mas neste especial vamos destacar as mulheres que mostram seu talento na literatura infantil e neste tema também temos muito que falar, principalmente aqui no Brasil!

Vamos começar por Maria Clara Machado (1921 – 2001), nasceu em Belo Horizonte – MG, mas passou
a maior parte da vida no Rio de Janeiro.

Foi escritora, dramaturga, professora e diretora teatral. Sempre se dedicou à literatura infantil e foi a
criadora da maior escola de teatro do país, clamada de “O Tablado”, que reuniu um grupo de artistas amadores para representar peças para a comunidade.
Escreveu livros infantis com histórias que encantam crianças de todas as gerações, entre eles: “O boi e o burro a caminho de Belém” - 1953, “A bruxinha que era boa” - 1954, “Pluft, o fantasminha” - 1955 e “A coruja Sofia” - 1994.

Outra escritora infantil muito conhecida é Ana Maria Machado (1941 - /). Nasceu no Rio de Janeiro, é jornalista, professora e escritora com muitos livros escritos no Brasil e no exterior. Passou por momentos difíceis na época da ditadura e acabou sendo exilada, fase que atuou como jornalista em Paris e Londres. Quando voltou ao Brasil logo estourou em vendas com o livro infantil “ História Meio ao Contrário” – 1977. Outras obras infantis desta autora são: “ Raul da Ferrugem Azul” – 1979, “ Bisa Bia, Bisa Bel” – 1981, “ Menina Bonita do Laço de Fita” – 2000 e “ Abrindo Caminhos” – 2003.

Na sequência temos Lygia Bojunga (1932 - /), nasceu em Pelotas – RS, é artista de teatro, mas desde 1972 dedica-se à literatura infantil. Como viajou desde pequena se apresentando em espetáculos no interior do país, presenciou a pobreza e o analfabetismo, criou possibilidades para abrir uma escola para crianças carentes no interior do Rio de Janeiro, onde vive atualmente e dirige a escola.  “A Bolsa Amarela” - 1976, “ Corda Bamba ” – 1979, _“ A Casa da Madrinha” _ – 1987 e “ O Sofá Estampado ” – 1980 são algumas de suas obras.

Ruth Rocha (1931 - /) vem a seguir, com muito conhecimento e competência para lidar com o que se passa na cabeça das crianças. Ela nasceu em São Paulo, formou-se me Sociologia e Política, mas gosta mesmo de lidar com a educação, por isso fez pós-graduação em Orientação Educacional. Ganhou os mais importantes prêmios brasileiros destinados à literatura infantil da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, da Câmara Brasileira do Livro, cinco Prêmios “Jabuti”, da Associação Paulista de Críticos de Arte e da Academia Brasileira de Letras, Prêmio João de Barro, da Prefeitura de Belo Horizonte, entre outros. Seu livro mais conhecido é “Marcelo, Marmelo, Martelo” - 1999, que já vendeu mais de 1 milhão de cópias. Outros livros da autora: “As Coisas que Eu Gosto” - 1987, “Borba, O Gato” - 1998, “Borba, O Gato” - 2002 e “Quem Vai Salvar a Vida?” – 2004.

É impossível deixar de falar em Cecília Meireles (1901 – 1964), grande escritora da literatura brasileira, nascida no Rio de Janeiro, com muitas obras escritas, que contempla todas as idades, mas especialmente a literatura infantil. Formou-se professora e fundou a primeira biblioteca infantil do Rio de Janeiro, em 1934. Entre as obras mais conhecidas estão: “Ou Isto ou Aquilo” - 1964, “O Menino Atrasado” – 1966 e “Janela Mágica” – 1981.

Claro que a nova geração está chegando e escritoras mais jovens estão surgindo com toda energia para motivar essas crianças no mundo da literatura. É o caso de Thalita Rebouças (1974 - /), carioca, jornalista, com vários livros publicados. Entre os livros mais conhecidos estão: “Uma Fada Veio Me Visitar” - 2006, “Ela Disse, Ele Disse” - 2010, “Fala Sério, Mãe” - 2011 e “Era Uma Vez Minha Primeira Vez” - 2011.

Curiosidades

Cecília Meireles foi a primeira mulher a ter um livro reconhecido pela Academia Brasileira de Letras, em 1938, pela obra “Viagem”.