Sete Maravilhas do Mundo

Sete Maravilhas do Mundo

A inteligência e habilidade do ser humano é incrível! Isso é possível de se ver de várias formas: nas descobertas da ciência e tecnologia, nos avanços da medicina etc. Mas, ao longo dos séculos os seres humanos deixaram, também, monumentos incríveis, construídos em diversas partes do mundo e muitos deles deixam intrigados, até hoje, engenheiros e arquitetos, devido à complexidade de detalhes que apresentam.

Assim, existe uma classificação dessas obras de acordo com seu valor artístico e arquitetônico e estão organizadas em uma lista chamada de as Sete Maravilhas do Mundo.

Existe uma lista oficial que considera os monumentos do mundo clássico, chamada de Sete Maravilhas do Mundo Antigo e também outra mais recentemente, não oficial, que se refere às Sete Maravilhas do Mundo Moderno. As mais recentes maravilhas do mundo foram escolhidas em concurso informal e popular internacional promovido pela New Open World Foundation , com o lançamento da campanha New 7 wonders , que contou com mais de cem milhões de votos enviados de todas as partes do mundo e teve os resultados anunciados em 7 de julho de 2007 numa cerimônia no Estádio da Luz em Lisboa, Portugal. Se você observar bem essa data não foi escolhida por acaso , pois as 7 novas maravilhas foram escolhidas em 07/07/07!!!!

Vamos conhecer um pouco de cada uma delas, começando pelas Sete Maravilhas do Mundo Antigo:

Pirâmides de Gizé: construídas no Egito Antigo há mais de 4 mil anos, é a única das sete maravilhas que resiste até os dias de hoje quase totalmente intactas. A pirâmide mais alta, pertencenteao faraó Quéops, tem 147 metros de altura e foi a maior construção feita pelo homem durante mais de quatro mil anos, sendo superada apenas em 1889, com a construção da Torre Eiffel, em Paris, França.

Estátua de Zeus: construída no século V a.C, pelo escultor Phidias. Era feita em ouro e marfim, medindo de 12 a 15 metros de altura. A estátua foi erguida em homenagem à Zeus, o deus dos deuses para a cultura Grega. Ficava em Constantinopla, atual Istambul, na Turquia e não se sabe ao certo o que causou sua destruição, podendo ter sido um incêndio ou terremoto.

Templo de Ártemis: dedicado à deusa grega Ártemis, protetora da caça e dos animais selvagens, foi o maior templo do mundo antigo. Localizado em Éfeso, atual Turquia, o templo foi construído em 550 a.C. e destruído em 356 a.C. por Heróstrato, que acreditava que destruindo o templo teria seu nome espalhado por todo o mundo. Sabendo disso, os habitantes da cidade não revelaram seu nome, só conhecido graças ao historiador Strabo. Atualmente existe apenas um pilar da construção original em suas ruínas.

Mausoléu de Halicarnasso: foi o suntuoso túmulo que a rainha Artemísia II de Cária mandou construir sobre os restos mortais de seu marido, o rei Mausolo, em 353 a.C.. Hoje, os fragmentos desse monumento são encontrados no Museu Britânico, em Londres, e em Bodrum, na Turquia.

Colosso de Rodes: esta gigantesca estátua foi construída em homenagem ao deus grego Hélios e foi colocada na entrada marítima da ilha grega de Rodes. Ela foi finalizada em 280 a.C. com 30 metros de altura e setenta toneladas de bronze, de modo que qualquer barco que entrasse na ilha passaria entre suas pernas, que possuía um pé em cada margem do canal que levava ao porto. Na sua mão direita havia um farol que guiava as embarcações à noite. Foi destruída por um terremoto 55 anos depois da construção.

Farol de Alexandria: foi construído a mando de Ptolomeu I no ano 280 a.C. Era uma torre de mármore situada na ilha de Faros, daí o nome “farol”, próxima ao porto de Alexandria, no Egito. No alto dessa torre ardia uma chama que, através de espelhos, iluminava até 50 km de distância. Essa construção também resistiu por muito tempo, sendo destruída por um terremoto em 1375. Suas ruínas foram encontradas em 1994 por mergulhadores.

Jardins Suspensos da Babilônia: foram construídos a mando do rei Nabucodonosor II, que os teria mandado construir em homenagem à mulher, Amitis, porque tinha saudades das montanhas do lugar onde nascera. Esses jardins na verdade eram seis montanhas artificiais feitas de tijolos de barro cozido, com terraços sobrepostos onde foram plantadas árvores e flores. Calcula-se que estivessem apoiados em colunas cuja altura variava de 25 a 100 metros. Entre as sete maravilhas do mundo antigo, esta é a menos conhecida, pois não restou praticamente nenhum vestígio, inclusive não se sabe quando essa maravilha foi destruída.

Vamos conhecer agora quais são as Sete Maravilhas do Mundo Moderno

Cristo Redentor: é uma estátua que representa Jesus Cristo, localizada na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Construída no topo do morro do Corcovado, a 709 metros acima do nível do mar, tem 38 metros de altura e foi inaugurada no dia 12 de outubro de 1931, depois de aproximadamente cinco anos de obras. Olha o Brasil aí muito bem representado!!!

Muralha da China: é uma impressionante estrutura de arquitetura militar construída durante a China Imperial. Começou a ser erguida por volta de 220 a.C. por determinação do primeiro imperador chinês, QinShihuang. Tem aproximadamente três mil quilômetros de extensão, a sua função era a de conter as constantes invasões dos povos ao Norte. Atualmente é a mais procurada atração turística do país.

Petra: cidade situada na Jordânia, ocupada por volta do ano 1200 a.C. e chama a atenção por seu parque arqueológico, com desfiladeiros impressionantes, com paredões de rochas que variam de coloração: pela manhã, com o sol forte, as ruínas da cidade são alaranjadas, à tarde, os paredões e construções de Petra tomam uma coloração mais rósea. Atualmente pouco pode ser visto de suas construções suntuosas da antiguidade, pois a cidade passou por dois grande terremotos que acabaram por destruir grande parte da cidade.

Coliseu de Roma: é o mais famoso anfiteatro do mundo e o símbolo de Roma. Foi palco de lutas de gladiadores e massacres de cristãos que marcaram a história da humanidade. Foi construído por ordens do imperador Vespasiano, em 70 d.C., sendo que suas fundações possuem mais de 12 metros de profundidade, e seus 187,5 metros de comprimento, assim é uma das maiores construções de todo o império romano, e podia acomodar entre 45.000 e 55.000 espectadores. Foi danificado por um terremoto e também passou por diversos saques entre o Sec. XV e XVI, portanto atualmente resta pouco dos materiais nobres originais.

ChichénItzá: é uma cidade arqueológica maia localizada no estado de Iucatã, México. É considerada a mais famosa cidade da cultura Maia e possui várias construções sutuosas como a pirâmide de Kukulkan, o Templo de ChacMool, a Praça das Mil Colunas, e o Campo de Jogos dos Prisioneiros. Foi fundada por volta dos anos 435 e 455 d.C.  e declarada Património Mundial da Unesco em 1988.

Machu Picchu: é também conhecida como “cidade perdida dos Incas”, é uma cidade ainda bem conservada, localizada no topo de uma montanha, a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, atual Peru. Foi construída no século XV e é o símbolo mais típico do Império Inca, quer devido à sua original localização e características geológicas, quer devido à sua descoberta tardia em 1911. Atualmente apenas cerca de 30% da cidade ainda faz parte da construção original, o restante foi reconstruído.

Taj Mahal: é um mausoléu situado em Agra, cidade da Índia e o mais conhecido dos monumentos do país. Foi construído entre 1630 e 1652 por cerca de 20 mil homens, trazidos de várias cidades do Oriente. Sua construção foi ordenada pelo imperador ShahJahan em memória de sua esposa favorita, AryumandBanuBegam, a quem chamava de Mumtaz Mahal, que quer dizer “ajoia do palácio”. Sua construção é toda feita em mármore e incrustado com pedras semipreciosas.

 

Curiosidades

Do mundo antigo…

Os gregos foram os primeiros povos a relacionar as sete maravilhas do mundo, entre os anos 150 e 120 a.C.

Do mundo moderno…

Em 1985 Petra foi reconhecida como Patrimônio da Humanidade pela Unesco e quatro anos depois, em 1989, o cineasta americano Steven Spielberg rodou parte do filme Indiana Jones e a Última Cruzada em Petra, o que deu imensa notoriedade ao local.