Ano Novo

Árvore de Natal

Adeus Ano Velho…

Feliz Ano Novo!

Mais um ano está chegando ao fim e o mais importante é que outro ano vai começar…

Com esse novo ano chegam novas ideias, novas perspectivas e novos sonhos que devemos procurar realizar!

Um pouco da história…

Há dois mil anos antes da era cristã o Ano Novo seguia o ciclo anual dos babilônios, e era comemorado em 25 de abril, época em que começava a primavera naquela região e, portanto época de recomeço, de plantio para poder colher ao longo do ciclo. Os festejos demoravam cerca de 11 dias!

Na Grécia Antiga havia uma festa tradicional em homenagem ao Dionísius, deus do vinho. A comemoração era uma homenagem ao espírito da fertilidade e ao renascimento anual desse deus e era realizada na época do que conhecemos agora como Ano Novo.

Já os romanos foram os primeiros a estabelecer um dia no calendário para a comemorar um novo ano: até o ano de 153 a. C. era comemorado em 1º de março, mas foi trocado para 1º de janeiro e mantido no calendário Juliano, adotado em 46 a. C. Em 1582 a Igreja reafirmou a data da comemoração, adotando o calendário gregoriano.

Somente a partir de 1528 o Ano Novo passou a ser comemorado no dia 1° de janeiro porque as nações cristãs passaram a adotar o calendário criado pelo papa Gregório VIII, portanto essa data vigora até hoje em todos os países cristãos.

Até hoje, algumas culturas utilizam datas diferentes para comemorar o Ano Novo. Para os chineses, por exemplo, o ano novo começa no dia 23 de Janeiro e representa o calendário mais antigo que se conhece. As comemorações do novo ano começam no início de janeiro e se estendem até final de fevereiro, com danças e desfiles de rua.

Para os judeus o Ano Novo é chamado de Rosh Hashaná e significa “cabeça do ano”. É comemorado em 17 de setembro com alimentos especiais: cabeça de peixe, para demonstrar o desejo de mundo melhor e maçã e cenouras com mel, para tornar a vida mais doce. Durante as comemorações também é usual tocar o shofar, instrumento de sopro feito com chifre de carneiro.

Os mulçumanos comemoram a chegada de um novo ano em 26 de novembro e seu calendário tem 12 meses, que variam entre 29 e 30 dias. Esse calendário tem como base a fulda de Maomé de Meca para Medina. Na Índia, existem aproximadamente 30 calendários religiosos, que variam de uma região para a outra, mas há também um calendário nacional adotado em 1957. Assim, muitas regiões comemoram a chegada do Ano Novo em diferentes épocas, mas tem uma coisa em comum: para comemorar o ano novo, os indianos colocam luzes por todas as partes da casa e nas ruas.

Por que Réveillon???

O termo réveillon é um verbo de origem francesa, que significa “acordar”. Usamos essa palavra para representar o “despertar do ano”. Originalmente o termo identificava as festas realizadas na França, durante o século XVII, na véspera de datas importantes. Essas festas seguiam até depois da meia noite, mas com o tempo essa comemoração ficou restrita ao Ano Novo, sendo disseminada para outras culturas, inclusive no Brasil.

Tradição no Brasil

Nosso país, que tem como característica a diversidade cultural, só poderia ter um réveillon com a mesma marca, mas enquanto cultura, nas comemorações de final de ano há forte presença das crenças e rituais do candomblé e da umbanda, sendo que nessa época as homenagens se voltam para Iemanjá – deusa do mar para essas religiões. Para os fiéis ela é protetora e com as homenagens trás saúde, amor e dinheiro o ano todo. Acender velas na praia e jogar rosas no mar faz parte dos rituais mais tradicionais.

Compartilhar: