10 Curiosidades sobre a Copa de 1954

10 Curiosidades sobre a Copa de 1954

 A competição na Suíça foi um sucesso também financeiro, embora os estádios tivessem capacidades pequenas. Pela primeira vez a competição teve recursos de marketing para arrecadar dinheiro, como a venda de moedas comemorativas.

Sandor Kocsis só disputou a Copa de 1954, mas está entre os cinco maiores artilheiros da história de todas as copas. Seu recorde, de 11 gols numa única competição, foi superado somente por Fontaine, em 1958.

Kocsis também foi um dos únicos quatro jogadores a marcar três gols em duas partidas de Copa. Fontaine, Muller e Batistuta são os outros três.

As três expulsões ocorridas durante a Copa de 1954 foram na partida entre Brasil e Hungria: Boszik pela Hungria e Nilton Santos e Humberto, pelo Brasil.

A vitória da Hungria sobre a Coréia do Sul por 9 x 0 foi a maior da história das Copas até então. Só seria superada em 1982.

O jogo entre Áustria e Suíça, que acabou com o placar de 7 x 5, foi o jogo com mais gols na história das Copas até hoje.

O elenco brasileiro para a Copa de 1954 tinha 11 paulistas e 11 cariocas.

Arthur Ellis, o árbitro de Hungria 4 x 2 Brasil, virou sinônimo de “ladrão” depois da Copa. Chamar alguém no Brasil de “Mister Ellis” era um convite à briga. Mas Ellis não teve nenhuma culpa na derrota brasileira.

O capitão da Alemanha Ocidental, Fritz Walter, tinha um irmão na seleção, quatro anos mais novo, chamado Ottmar. Ambos jogavam pelo Kaiserslautern.

O maior astro da Hungria, Férenc Puskas, jogou toda a copa contundido e ainda assim, marcou quatro gols. Ele não enfrentou Brasil e Uruguai, mas jogou a final e sentiu a contusão, sem poder ser substituído.

Compartilhar: