10 Curiosidades sobre a Copa de 1986

10 Curiosidades sobre a Copa de 1986

 A sensação da primeira fase da Copa, a Dinamarca, tinha como estrela Preben Elkjaer-Larsen, que fumava 30 cigarros por dia.

O polonês Wladislaw Zmuda jogou sete minutos contra o Brasil para igualar o recorde de partidas em Copas com o alemão Uwe Seeler, com 21 jogos.

Um dos destaques da Copa, o brasileiro Josimar, foi convocado na última hora. Ele substituiu o lateral Leandro, que desistiu de jogar o torneio devido o corte do colega Renato Gaúcho.

Neste Mundial diversos craques se despediram de Copas. Entre eles estavam Zico, Sócrates, Falcão e Júnior (Brasil), Dasaev (URSS), Rummenigge (Alemanha), Platini, Tigana e Giresse (França) .

No jogo entre Brasil e Espanha, a banda do torneio executou o Hino à Bandeira e não o Hino Nacional Brasileiro.

O uruguaio Batista conseguiu receber o cartão vermelho mais rápido do Mundial. Na partida contra a Escócia ele foi mandado para o chuveiro aos 55 segundos de jogo.

Os jogadores argentinos receberam cerca de US$ 30 mil pela conquista do título. A Seleção Brasileira iria embolsar US$ 150 mil.

O atacante da seleção italiana Bruno Conti jogava beisebol antes de começar atuar no futebol. Conti quase foi levado ao EUA para jogar.

Ao se dirigir para o México, a delegação italiana pediu para a empresa aérea que havia levado o grupo a Espanha para os levarem também ao México, imaginado que isso traria sorte.

Pela segunda vez consecutiva o árbitro da partida final foi um brasileiro. Na Espanha, Arnaldo César Coelho já havia apitado e cedeu a vaga para Romualdo Arppi Filho para apitar a final no México.

Compartilhar: