Ídolos do Futebol Falcão

Ídolos do Futebol Falcão

  Falcão o rei da Roma

 

O que precisaria provar um jogador que foi tricampeão brasileiro e cinco vezes campeão Gaúcho? Talvez brilhar em uma Copa do Mundo. E é exatamente isso que fez Paulo Roberto Falcão, o melhor volante da história do Internacional de Porto Alegre, que havia tido o passe vendido do Colorado à Roma, da Itália, e que mesmo assim foi convocado por Telê Santana para formar o quadrado mágico do meio-de-campo da Seleção Brasileira de 1982.

 

Dono de um estilo inconfundível, Facão conseguia marcar como um cabeça-de-área e sair para o ataque como um meia-armador. O técnico Carlos Bilardo, campeão mundial pela Argentina em 1986, afirmou que Falcão era um craque tático, aquele que desenha o jogo para o time.

Revelado na Taça São Paulo de 1974, a principal competição da categoria júnior no Brasil, foi imediatamente promovido para o time titular da equipe do Beira-Rio, pelo então técnico Rubens Minelli. O resultado foi imediato, e os gaúchos faturaram o bicampeonato nacional de 1975/1976.

 

Em 1979, novamente o Colorado venceu o Campeonato Brasileiro, e desta vez de forma invicta. A qualidade técnica e o espírito de liderança de Falcão levam o craque para Itália, precisamente para a Roma.

 

Na primeira temporada por la, este catarinense conquistou a Copa da Itália. Em seguida disputa a Copa do Mundo da Espanha, tornando-se um dos destaques da Seleção Brasileira na competição.

A mágoa pela não conquista da Copa do mundo de 1982 foi em parte apagada pelo título do Campeonato Italiano ganho pela Roma. O jornal milanês “Gazzeta Dello Sport “ colocou na sua manchete de uma edição de 1983: “Falcão, tu fostes ungido como o oitavo rei de Roma.”.

 

Quando atravessava um ótimo momento na carreira, o “oitavo rei de Roma” sofreu uma contusão no joelho esquerdo, afetando os meniscos. Ele ficou um ano em recuperação e resolveu voltar ao futebol brasileiro. Sua casa foi o São Paulo Futebol Clube, comandado por Cilinho. Para sua surpresa, ficou na reserva por todo o certame paulista, sendo titular apenas nas semifinais e final. Os problemas no joelho fizeram o excepcional volante abandonar a carreira no final da temporada de 1986.

 

Em 1990, Falcão assumiu o comando técnico da Seleção Brasileira. Não obteve bons resultados e foi demitido, indo para o América do México e a Seleção Japonesa. Novamente não conseguiu realizar um bom trabalho, e voltou as origens no Internacional de Porto Alegre. Chateado com a desorganização do futebol da equipe que o revelou, se demitiu. Hoje, Falcão é comentarista da TV Globo.

 

·         Nome:  Paulo Roberto Falcão

·         Nascimento: Abelardo Luz, SC, 16/10/1953

·         Posição: Volante

·         Clubes: Internacional (1973 a 1980), Roma (1980 a 1984), São Paulo (1984 a 1986)

·         Títulos: Campeão brasileiro (1975/76 e 1979) e gaúcho (1973/74/75/76 e 1978) pelo Internacional; italiano (1983) e da Copa da Itália (1981) pelo Roma; paulista (1985) pelo São Paulo; do Torneio Bicentenário dos EUA (1976) pela Seleção Brasileira.

·         Jogos pela seleção: 32

·         Gols pela seleção: 6

Compartilhar: