Música Popular Brasileira

Música Popular Brasileira

Você já reparou a diversidade de ritmos da Música Popular Brasileira? Há estilos musicais para todos os gostos, as letras são criativas e por isso é conhecida internacionalmente. Esses são motivos de sobra para voltarmos ao passado, ver como tudo começou e como evoluiu nossa música…

A música popular brasileira surgiu a partir de uma mistura de ritmos vindos dos europeus, africanos e indígenas, mas é entre os séculos XVI e XVIII que ela começa a tomar forma, a partir do crescimento das cidades e da necessidade de haver entretenimento e expressão popular. Surge assim os dois primeiros ritmos musicais que marcaram a história da MPB: o lundu , de origem africana, com batidas fortes e ritmadas e a modinha , de origem portuguesa, com tom melancólico, sempre abordava temas românticos com batidas calmas e característica erudita. No final do século XIX , surge o Choro ou Chorinho , a partir da mistura do lundu, da modinha e da dança de salão europeia.  Marcando essa fase, em 1899 , surge a cantora Chiquinha Gonzaga que compõe a música “Abre Alas”, uma das mais conhecidas marchinhas carnavalescas da história.

No início do século XX , pela mistura de ritmos dos morros e cortiços do Rio de Janeiro, surge a mais popular entre todos os etilos musicais de nosso país: o samba!  No ano de 1917 o cantor Ernesto dos Santos, o Donga, compõe o primeiro samba chamado “Pelo Telefone”. Ainda no mesmo ano, aparece a primeira gravação de Pixinguinha, importante cantor e compositor de nossa música. O samba-canção , que é um gênero do samba, surge um pouco depois, no final de 1920 centrado em temáticas de amor, solidão, representando o contraponto do samba ritmado da época. Dentro desse mesmo estilo, outros cantores também começam a se destacar: Dolores Duran, Antônio Maria, Marlene, Emilinha Borba, Dalva de Oliveira, Angela Maria e Caubi Peixoto.

Nas décadas de 1920 e 1930 ocorre a popularização do rádio e os cantores da época ficam cada vez mais conhecidos e alguns cantores se destacam: Ary Barroso, Lamartine Babo - criador de “O teu cabelo não nega”, Dorival Caymmi, Lupicínio Rodrigues e Noel Rosa. Surgem também os grandes intérpretes da música popular brasileira: Carmen Miranda, Mário Reis e Francisco Alves.

Na década de 1940 , a música regional do nordeste começa a contagiar o país através de Luis Gonzaga, surgindo o baião , ritmo que ficou popular através desse cantor. O baião retrada o cenário da seca do nordeste. Algumas de suas músicas são conhecidas até hoje: “Asa Branca” e “Assum Preto”.

No final da década de 1950 , outro estilo chega a todo vapor: a bossa nova , um estilo sofisticado e suave. Por ela a música brasileira começa a ser mais conhecida no exterior. Os principais cantores da Bossa Nova são Elizeth Cardoso, Tom Jobim e João Gilberto.

A televisão é outro meio de comunicação que ganha espaço tornando-se cada vez mais popular e, em meados da década de 1960 , começa a influenciar também a música brasileira, principalmente pela iniciativa da TV Excelsior, que levou ao ar a primeira edição do festival da Música Popular Brasileira e da TV Record, que ficou responsável pelas edições seguintes. Nestes festivais são lançados nomes da música brasileira que se tornaram verdadeiros ídolos daquela geração e das seguintes, pois são populares até hoje. Entre eles estão: Elis Regina, Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso Milton Nascimento e Edu Lobo. Também nessa época, a TV Record lança o programa musical Jovem Guarda e cantores Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa começam suas carreiras de sucesso.

Ao falar de música popular brasileira, é impossível deixar de lembrar do Tropicalismo , movimento que surgiu entre 1967 e 1968 liderado por Gilberto Gil e Caetano Veloso. Como já vimos, na época predominavam no Brasil dois estilos: a MPB e a Jovem Guarda, que estavam em constante conflito.

Os dois cantores quebraram a disputa criando um cenário musical que misturava a canção nacional ao rock, com letras de forte cunho político e roupas espalhafatosas, feitas com plástico e plumas, entre outros materiais.

Um dos grandes acontecimentos que marcou o nascimento da tropicália foi a apresentação das canções “Alegria, Alegria” e “Domingo no Parque”, apresentadas respectivamente por Caetano e Gil no 3º Festival de MPB da TV Record, em 1967.

Um ano depois, os cantores junto com Gal Costa, Tom Zé, Os Mutantes, Nara Leão, o maestro Rogério Duprat, Júlio Medaglia, Damiano Cozzella, Torquato Neto e Capinan lançaram um disco coletivo recheado de canções-manifesto chamado “Tropicália”. Neste mesmo ano, Gil e Caetano foram presos e mandados para o exílio pelo governo militar, fazendo com que o movimento perdesse força.

Pela influência desses grandes cantores, na década de 1970 , vários músicos brasileiros começam a fazer sucesso, vindos de todas as partes do país: Nara Leão grava músicas de Cartola e Nelson do Cavaquinho. Diretamente da Bahia, Gal Costa e Maria Bethânia fazem sucesso nas grandes cidades. O mesmo acontece com Djavan, de Alagoas, Fafá de Belém, chega do Pará, Clara Nunes de Minas Gerais, Belchior e Fagner, ambos do Ceará, Alceu Valença de Pernambuco e Elba Ramalho da Paraíba são os principais. Também nessa época o rock brasileiro começa a apontar nas paradas de sucesso, com Raul Seixas e Rita Lee. Representando o funk aparecem Tim Maia e Jorge Ben Jor.

Com forte influência de estilos musicais vindos do exterior, nas décadas de 1980 e 1990 novos estilos musicais começam a apontar no Brasil, assim começa a geração do rock , do punk e da new wave. No Brasil, acontece a primeira edição do show Rock in Rio , no início dos anos 80, que ajudou a impulsionar o rock nacional. As músicas tinham temática variadas, circulando entre questões sociais, juvenis e amorosas. Neste período surgem várias bandas musicais: Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, Titãs, Kid Abelha, RPM, Plebe Rude, Ultraje a Rigor, Capital Inicial, Engenheiros do Hawaii, Ira! e Barão Vermelho. Também fazem sucesso: Cazuza, Rita Lee, Lulu Santos, Marina Lima, Lobão, Cássia Eller, Zeca Pagodinho e Raul Seixas.

A música sertaneja ou country começa a ganhar espaço nos anos 90 , com um forte caráter romântico, surgem no cenário musical Chitãozinho e Xororó, Zezé di Camargo e Luciano, Leandro e Leonardo e João Paulo e Daniel. Também nesta época, no cenário do rap destacam-se: Gabriel, o Pensador, O Rappa, Planet Hemp, Racionais MCs e Pavilhão 9.

O século XXI começa com o sucesso de grupos de rock com temáticas voltadas para o público jovem e adolescente e os principais músicos são Charlie Brown Jr, Skank, Detonautas e CPM 22.

O mais interessante é que os vários estilos circulam pacificamente entre as gerações e cada gênero musical vai servindo de referência para as gerações futuras, criando essa sinfonia harmoniosa que é a Música Popular Brasileira!

 

Curiosidades

Poucos sabem, mas existe Academia Brasileira de Música, fundada por Heitor Villa-Lobos, em 14 de Julho de 1945. A instituição cultural fica no Rio de Janeiro, tem como característica o fato de ser sem fins lucrativos e é composta de 40 acadêmicos, personalidades de destaque no meio musical brasileiro nas áreas de composição musical, interpretação e musicologia.