Amazônia - Rio Amazonas

Rio AmazonasQuem já navegou nas águas do Rio Amazonas teve a oportunidade de conhecer uma das regiões de maior biodiversidade do planeta. E a grandeza desse rio não
para por aí, pois também é o maior rio do planeta em volume de água , representando 20% de toda a água
doce do planeta. Em 2007 também ganhou o título de
maior rio do mundo em extensão , com 6.800 Km de comprimento – passando na frente do famoso Rio Nilo, no Egito - e ainda chega a 100 m de profundidade.
Com toda essa riqueza, ao longo desse rio formou-se uma dinâmica de relações entre seus habitantes e a natureza, que vale à pena conhecermos. E é exatamente isso que vamos fazer nesse especial… Vamos lá?!?!

A rotina ao longo do rio

A população ribeirinha se constituiu ao longo do Amazonas e tem a pesca artesanal como a principal atividade de subsistência. Para alimentação, além da pesca, os ribeirinhos utilizam produtos que coletam na floresta, como frutos, palmito etc. As moradias da região são as palafitas, habitações construídas em estacas sobre a água e muitas vezes, na época da cheia do rio, ficam tomadas pela água.

Para a população ribeirinha tudo chega pela água, principalmente as mercadorias, serviços de saúde e até escolas. O regatão é bastante popular na região, pois ele é o comerciante que leva a mercadoria de barco até as cidades ribeirinhas. O barco do regatão é como uma grande loja onde se encontra de tudo: botijão de gás, mantimentos, pratos, talheres, tecidos, sabonete, calculadoras etc. O pagamento pelas mercadorias é geralmente feito com o peixe que foi pescado, com açaí e outros recursos naturais provenientes do trabalho diário. Na época da colheita do açaí dá para encomendar até geladeira e televisão para esses comerciantes!

Como tudo gira em torno do rio, muitas vezes o calendário escolar tem que ser modificado e adaptado ao clima da região. Assim, para evitar problemas de acesso durante o período da vazante – época em que as águas estão baixas - e para não prejudicar o ano letivo, muitas vezes as escolas iniciam as aulas em janeiro, quando o nível do rio está subindo, e terminam em outubro, quando a vazante forma extensas praias ao longo dos rios afluentes.

Na época da vazante, os leitos dos rios se transformam em verdadeiros caminhos para as comunidades, que sofrem com a seca. Neste período, os barcos têm mais dificuldades para navegar e o acesso fica mais difícil.

Características biogeográficas

Os principais afluentes do Rio Amazonas são os rios Negro , Madeira , Xingu , Tapajós , Trombetas e Jari. Há dois tipos de vegetação próximas ao rio. Uma delas é a floresta de várzea - área que se caracteriza pela inundação constante dos rios, especialmente rica e produtiva. Por isto suas margens são densamente povoadas e as florestas de igapó - que são áreas permanentemente alagadas, são pouco habitadas, devido à baixa qualidade orgânica do solo. A fauna presente no Rio Amazonas é composta por 3.000 espécies de peixes, 400 espécies de anfíbios e 300 espécies de répteis, sem contar a riqueza de invertebrados da região.

Os principais peixes encontrados na região são: o pintado – a reprodução ocorre entre dezembro e fevereiro, época em que, após longa migração rio acima, a reprodução acontece nas cabeceiras dos rios; a piranha – põe seus ovos junto a raízes de plantas aquáticas e os filhotes nascem depois de 10 dias; o pirarucu - forma casais que constroem os ninhos e protegem seus filhotes por 3 meses; o poraquê - ovíparo que se reproduz durante a época da seca dos rios. O macho constrói e protege o ninho; e o tucunaré - cuja reprodução ocorre em água parada. Desova uma vez ao ano. Constrói ninho, utilizando pequenas pedras, e cuida da prole.

Há outros animais que vivem nas partes baixas da floresta e na beira do rio: iguana, jacaré-açu, jiboia, sucuri e a famosa tartaruga da Amazônia, que pode chegar a pesar 60 kg. Não podemos esquecer o boto, também chamado de golfinho do rio Amazonas, que é a maior espécie de golfinho de rio e pode crescer para comprimentos de até 2,6 metros.

Curiosidades

Somente em 2007 os geógrafos chegaram à conclusão a respeito do local da nascente do Rio Amazonas: fica na região do nevado Mismi, uma montanha ao sul do Peru e não no monte Huagra, mais ao norte daquele país, como os geógrafos pensavam na década de 1960.  Este estudo foi coordenado pelo Instituto Geográfico Nacional do Peru – IGN com participação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Dicas de Atividades

Fazer um trabalho interdisciplinar para estudar o Rio Amazonas pode ser uma ótima forma de mostrar aos alunos a importância da região. O professor de Geografia pode coordenar o projeto construindo com os alunos um grande mapa da região, mostrando seus afluentes e características geográficas gerais.

O professor de Ciências/Biologia poderá organizar com os alunos um levantamento de dados atualizados sobre as principais espécies, as que correm o risco de extinção, além de, também, promover a pesquisa sobre as questões ambientais da região.

O professor de Português poderá propor a criação de um texto coletivo que aborde as características da região, utilizando os dados coletados pelas outras disciplinas, além de poder falar sobre Thiago de Mello, um dos maiores poetas brasileiros que nasceu na região e escreve sobre ela. O projeto pode culminar em uma exposição, aberta à comunidade, é claro!

Abordar questões ambientais relacionadas à caça de animais como os jacarés, também é importante, pois pode ser estabelecida a relação com a cadeia alimentar e os problemas instalados ao longo do tempo. O professor pode propor a pesquisa em grupos e posteriormente a apresentação de um painel integrativo, apontando os problemas e as soluções encontradas pelas equipes.

Aproveite também as outras atividades de nosso site!

Compartilhar: